Pennacchi: no Brasil, há 50 anos um grupo empresarial se esforça para servir bem a seus clientes e steakholders, ajudar a sociedade civil e preservar o meio ambiente.

Jul 30, 2019 | Brazil, Columnist, Portuguese, Press

Read in English.

Normalmente se diz que um grupo empresarial é forte por sua solidez e ampla atuação no mercado. Há 50 anos, Pennacchi é reconhecido também por isso, mas sobretudo pelos valores que defende, e por apoiar projetos sociais. O Grupo atua nos segmentos de distribuição ao varejo; indústria de balas e doces, de marca própria e para terceiros; agronegócio, no cultivo de soja, milho, trigo, e na criação de gado de corte.

Pennacchi também mantém uma área de 25.000.000m² como Reserva Particular do Patrimônio Natural, com matas nativas recuperadas e preservadas, e protegendo a fauna e a flora da região.

Além disso, o Grupo apoia o Projeto Crescer, que atende gratuitamente mais de 600 crianças e adolescentes de ambos os sexos, entre 10 e 15 anos, estudantes carentes do ensino regular público.

Além de Diretor Comercial do Grupo, o Sr. Paulo Hermínio Pennacchi é Vice-Presidente da Federação do Comércio do seu Estado, que integra Sesc- Senac e IFDP; é Presidente do Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado do Paraná (Sinca); é associado à Anpecom, Associação Nacional ligada à  Economia de Comunhão (EdC) e Presidente do Projeto Crescer . A seguir, vamos saber um pouco mais a respeito: 

The Columnist (TC): Como tudo começou?

Paulo Pennacchi (PP): Em meados de 1955, em busca de melhores condições de vida para sua família, meu pai Hermínio Pennacchi vendeu o que possuía na cidade de Ouro Fino, no estado de Minas Gerais e dirigiu-se com minha mãe Maria Aparecida e seus 4 primeiros filhos para uma área rural na região norte do Estado do Paraná, conhecida na época como o “Eldorado do Brasil”. Quando os cafezais de que ele cuidava foram exterminados por uma grande geada, meu pai começou então a trabalhar num açougue, e posteriormente no Matadouro Municipal. Alguns anos depois, com a ajuda dos filhos mais velhos José Carlos e eu, ele abriu um pequeno estabelecimento, conhecido por Tabacaria Ouro Fino, em homenagem à sua cidade natal. Desde então fomos crescendo, ao custo de muito trabalho. Atualmente a sede do Grupo Pennacchi está situada na cidade de Arapongas, Paraná, a cerca de 380 km de Curitiba, e a 580 km de São Paulo.

TC: Quais as atividades atualmente desenvolvidas pelo Grupo?

PP: Atuamos como distribuidor atacadista para o varejo, na indústria e no agronegócio: 

Segmento de distribuição 

A partir de um Centro de Distribuição com 24.000m², comercializamos mais de 3.000 itens de cerca de 180 fornecedores, oferecendo mix para clientes de diversos segmentos. Nossa estratégia é nos posicionarmos com um eficiente elo, reduzindo distâncias entre as indústrias e os revendedores. Nosso diferencial é relacionamento, favorecendo proximidade e parceria.

Pennacchi Industrial

Após nos firmarmos como distribuidor atacadista nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, nosso Grupo resolveu montar uma fábrica de doces diversos. Iniciamos com dedicação exclusiva à produção mecânica de balas, caramelos e pirulitos. Alguns anos depois promovemos a automatização dessa indústria, passando a operar com equipamentos de última geração, e ampliando sua capacidade de produção. De nossas linhas são produzidos, rigorosamente dentro dos padrões de segurança alimentar, quase uma centena de produtos de marca própria e para terceiros, de gramaturas e sabores diversos. Alguns são até exóticos, com sabores mais acentuados, para atenderem a regiões específicas do mercado brasileiro e de outros países.

Pennacchi Agropastoril 

No segmento de agronegócios, dispomos de fazendas e uma central de negócios na região de Cascavel, oeste do Paraná. Por meio de práticas modernas e investimentos contínuos em tecnologia e modernização das áreas e equipamentos, estamos nos destacando no cultivo de soja, milho e trigo, em sistema de plantio direto, com índices de produção acima da média nacional. Já nossa criação de gado de corte é realizada com técnicas de inseminação artificial, e o acabamento dos animais é feito em sistema de confinamento.

TC: Qual o compromisso do Grupo Pennacchi com a preservação ambiental?

PP: O Brasil é considerado um país megabiodiverso, onde encontramos uma grande variedade de espécies da fauna e da flora, e um dos melhores climas do planeta, graças a seus importantes ecossistemas. Sabemos que cada um dos elementos da natureza tem um papel a desempenhar, e para que isso ocorra, é preciso haver equilíbrio. Pois como bem disse Carlos Drummond de Andrade, “a natureza não faz milagres, faz revelações”.

Pensando nisso, desde 1982 o Grupo Pennacchi mantém 25.000.000m² como “Reserva Particular do Patrimônio Natural” (RPPN). Ali foram recuperados e preservados rios, cachoeiras, matas nativas e protegidas a fauna e flora da região, com animais e pássaros em risco de extinção. Um novo projeto também foi adotado desde 2012, com a implantação do sistema de florestamento com eucalipto, em áreas específicas de todas as fazendas.

Além disso, o Grupo promove a reciclagem de sobras de materiais gerados por suas empresas, como papel, embalagens plásticas e outros, tratamento de efluentes gerados pela divisão Industrial, coleta seletiva de resíduos e campanhas de conscientização para a redução do consumo de água, luz, papel, etc.

TC: Em relação aos problemas da sociedade civil, como o Grupo Pennacchi se posiciona para ajudar? 

PP: Nossa preocupação com o social inicia com nossos próprios colaboradores. Nossas empresas oferecem academia de ginástica com educador físico; ambulatório médico; assistência de coach; convênios com clínicas médicas, creches, escolas e faculdade; oferecemos cursos, palestras e treinamentos; exames periódicos de saúde; ginástica laboral; refeitório; projeto de prevenção ao câncer de mama e ao câncer de próstata, dentre outros.

Objetivando contribuir com a comunidade, nosso Grupo apoia as ações do Lions Club e do Rotary Club, voltadas às questões sociais e humanitárias. Podemos citar, por exemplo, a Escola Especial Lions Club; a Associação Junior Achievement; o banco de doadores de sangue; as campanhas para arrecadação de roupas, calçados e brinquedos; o apoio ao Hospital do Câncer de Londrina (cidade vizinha); o Programa Justiça do Bairro e o Projeto Crescer Arapongas.

TC: Lembro que, na nossa visita, o senhor fez questão de nos mostrar pessoalmente algumas empresas do Grupo. Contudo, o momento em que o sentimos mais entusiasmado foi quando nos apresentou o Projeto Crescer. Fale-nos um pouco mais a respeito.

PP: O Projeto atende gratuitamente mais de 600 crianças e adolescentes de ambos os sexos, entre 10 e 15 anos, estudantes do ensino regular público, com renda familiar de até 3 salários mínimos. Trata-se de um sistema de contraturno escolar, ou seja, quem estuda pela manhã, frequenta o Projeto à tarde, e vice-versa, de segunda à sexta feira. Oferecemos alimentação balanceada e nutritiva, que inclui café da manhã, almoço e lanche. Nosso Grupo é o principal apoiador dessa iniciativa, e eu sou o atual Presidente do Projeto.

O Projeto Crescer proporciona condições para a inserção social, cultural, esportiva e comunitária, visando o desenvolvimento e preparo para o exercício da cidadania. As atividades culturais e para formar hábitos e cuidados com a saúde física, e estabelecer vínculos de amizade e cooperação em grupo incluem Informática, Inglês, Português, Matemática, Educação Física, música, canto, dança, teatro, flauta doce e capoeira. O número máximo de participantes por classe é de 23 alunos. A biblioteca contém milhares de livros, das mais diversas áreas, que auxiliam no desenvolvimento da leitura e dos trabalhos escolares. 

Para se ter uma ideia da relação custo benefício deste Projeto, a média de investimento total anual é de cerca de US $ 448,305.37 com uma média mensal de investimento por aluno de apenas US $ 73.85. 

Além de acompanhar de perto todas as atividades do Projeto Crescer, eu busco ajuda de outros empresários para manter esta importante obra, buscando doações diretamente. Outra forma é apresentando uma Lei nacional de Incentivo à cultura, que possibilita às empresas brasileiras (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoas físicas), aplicarem uma parte do imposto de renda devido em ações culturais. 

TC: Como o senhor definiria a palavra “confiança”, em relação à sua conduta como empresário, e em relação ao que espera das pessoas?  

PP: – A confiança está diretamente atrelada à transparência e à honestidade das transações realizadas pelas empresas do Grupo e por tudo que realizamos. Esperamos essa reciprocidade de todos que participam dos nossos negócios, sejam eles colaboradores, clientes, fornecedores, etc.

O que o inspirou a apoiar o Projeto Crescer?

– Os meus pais foram minha fonte de inspiração, e as primeiras pessoas que me ensinaram a servir. O Lions Club reforçou essa característica em mim, quando comecei a participar, em 1972. Em 1976 fui presidente dessa Entidade, e participei ativamente da construção da Casa Bom Menino, que funcionou como casa lar por 27 anos. Em 2005, foi criado o Projeto Crescer, visando atender um número maior de crianças e adolescentes, nesse projeto de transformação social. A parceria com a Universidade Unopar veio fortalecer o projeto, e nos ajudar a chegar aos números atuais, com mais de 600 alunos matriculados.

O que o senhor diria a outros empresários e demais pessoas, que ainda não apoiam projetos sociais?

– Eu diria que, quando nos dispomos a ajudar, de fato recebemos muito mais do que doamos. O aprendizado é diário e a realização de fazer o bem ao outro, de transformar vidas, de oferecer oportunidade, é imensurável. Vale a pena contribuir não apenas financeiramente, mas no voluntariado, no servir e em estar próximo. É algo que engrandece o nosso ser.

Independentemente de religião, o senhor considera que a espiritualidade influencia de algum modo a sociedade, na busca um mundo melhor? 

– A espiritualidade é fundamental nesse processo. Faz-nos mais humanos, caridosos, e ajuda a perceber que é preciso deixar um legado maior que bens materiais.

Caso você queira saber mais sobre o Projeto Crescer,  acesse http://projetocrescerarapongas.org.br/sitebm/

Se deseja saber como colaborar, queira por favor entrar em contato diretamente com o Projeto Crescer, via e-mail: crescer_captacao@hotmail.com

Shape the World Summit 2022: Future Resilience by Design

Shape the World Summit 2022: Future Resilience by Design

Over 150 leaders from business, non-profits and social enterprises from 12 countries convened in person at The Swissotel, The Stamford for Shape the World Summit 2022 on 21st June to share personal experiences and ideas on how to shape a resilient future.

Consulus Elects First Chairwoman: Helena Pham

Consulus Elects First Chairwoman: Helena Pham

This week, during the 5th Annual Consulus Global School, conducted in a hybrid format with Consulites in attendance from 12 countries, Ms Helena Pham was elected as the Global Chairwoman for 2022 to 2023.

Free sample Smart 4.0 Vietnam

Complete the form below to download the sample report

Consulus Vietnam

You have Successfully Subscribed!

Buyfull Smart 4.0 Vietnam white paper

Complete the form below to download the sample report

You have Successfully Subscribed!